Little Things - Parte 10



Cap.: "Lagrimas... sangue sem cor."

.
 Deveria ter prestado atenção na aula do Sr.Oliveira, mas não conseguia. Na verdade, algo me prendia naquela classe. Prendia os meus pensamentos fora dali.
Passei boa parte do tempo de aula com a cabeça apoiada nos meus cadernos e livros em cima da mesa, com o capuz sobre meus cabelos. Sem música. 
De uma coisa eu sei: temos que dar um passo para atrás para avançar dois.
O sinal bateu. Nenhuma das minhas amigas foram a escola nesse dia.
Sai de sala e avistando Adryan e Thomás e mais alguns meninos à poucos metros. Fui andando calmamente, quando Thom me avista e sorri.
- E ai, como você está?
- Estou bem, vou ficar -sorri de canto- cadê as meninas?
- Nathália passou mal de madruga mas já está melhor. -disse Adryan
-O que ela tem?
-Acho que ela comeu besteira e com a gravidez não ajudou.
- E o que você está fazendo aqui? Porque não está com ela?
Adryan começou a falar mas logo foi interrompedido pela Raquel que chegou com Mattheus.
- Ah, olha lá,  a garotinha do papai. -provocou Raquel. Respirei fundo, é a minha técnica para evitar estresse.
 - Qual é, Raquel? - disse Thom
- Você que tá traí o gato e depois se faz de vítima, pelo amor. -Raquel mentia.
- Vem, Raquel. Não vamos gastar novo português com gente desse tipo. - disse Mattheus.
Já citei como sou sensível. Muito.
Raquel e Mattheus afastaram-se debochando-se. Ok. 
Que fase.
Vai passar.
Tudo passa.

Dois dias se passaram. Fui as aulas, conseguir dirigir minha atenção ao professor. Em relação ao curso de espanhol, falta só um mês para acabar. Ou seja, UHUUL!
Na parte da tarde, desses dois dias, passei com o Bernardo e a Juliana. 
Meu pai já está morando em outro lugar e me convidou para almoçar com ele amanhã.
Sábado. Acordo, faço minhas higienes matinais e coloca essa roupa.

Sem título #23

- Minha pequena - disse meu pai logo após abrir a porta, em seguida, ele me abraçou. - Entre.
Entrei. Era um apartamento grande, na verdade, bom.
- Senta ali sob a mesa que falta pouco para ficar pronto.
- Qual é o prato, pai?
- É especial. -rimos
O apartamento é localizado há cinco quarteirões de onde moro. Coloquei minha bolsa no sofá e andei em direção a janela. Era um dia quente, um dia comum e agradável para os cidadãos.
- Está pronto, vem filha. -meu pai me chamara depois de ficar uns 5 minutos admirando a bela vista da cidade.
O prato era nhoque à quatro queijos. Hmm!
- Pensei que você tinha falado com o Thiago para vir.
-Falei -bebeu um gole de refrigerante- mas ele ficou chateado ontem, quando veio me ajudar.
-Porque? -perguntei indignada, Thiago não havia dito nada.
-Ele ficou de vir me ajudar a organizar algumas coisas ontem, ele me ligou falando que não viria. Então, falei com o rapaz vizinho e ele veio me ajudar...
- E Thiago ficou bolado por o cara vir te ajudar? -interrompi
-Sim, até parece que você não conhece seu irmão.
- Hmm -continue comendo
- Até chamei o rapaz pra almoçar conosco, porém ele iria almoçar com os pais.
Assenti e terminei de devorar meu nhoque.
-Pai, vou indo. -disse pegando minha bolsa
-Quer que eu te leve?
- Não, não precisa. Só me leve até lá em baixo porque irei me perder. -rimos

-Ai! - reclamei quando alguém esbarrou em mim- Desculpa.

Gangster Love - Parte 2

Sou uma guerreira estou mais forte do que jamais fui
E minha armadura é feita de aço, você não pode entrar nela. 


Chegamos no hotel e estava cheio de fotógrafos, hum sera que é para mim? olhei para Justin sorrindo e ele logo respondeu

- Anne pode tirando esse sorriso do rosto, esses fotógrafos não são para você - meu sorriso logo desmanchou 
- Nem um?
- Apenas dois, no máximo 
- E são para quem então? - respondi com uma certa duvida 
- Esses fotógrafos são para um jogador do Brasil, que vai jogar no Barcelona.
- Um bando de homem vai vir fotografar um outro homem, que gays, podendo fotografar uma modelo como eu -  disse rindo
- Anda Anne, passe por todos sorrindo

Saímos do carro e vários flashes veio para mim, Justin me olhou e eu sorri vitoriosa, mesmo sabendo que eles aproveitaram que o tal jogador não havia chegado e tiraram fotos minhas. Fomos até a recepção e pegamos as chaves dos quartos, eu iria ficar em frente ao quarto do Justin. Minha carência estava tão grande que assim que Justin me deu tchau e abriu a porta eu não resisti e entrei junto, ele me olhou e eu parti para cima dele e o beijei, claro que ele não resistiu então prolongamos o beijo e caímos na cama, tirei a camisa dele e ele tirou a minha junto ao sutiã.

***

- Anne, assim eu fico louco - disse ele apos nos tombarmos cada um em um lado da cama
- Essa é a intenção Justin - sorri - Agora preciso ir, to exausta
- Tem certeza que precisa ir agora? – Questionou ele em quando vestia sua box azul-marinho.
- Absoluta Jus, precisamos dormir amanha temos reunião logo cedo - Disse enquanto colocava minha lingerie.
- Tudo bem, amanha quero você pronta as 10 hrs em ponto
- Pode deixar, agora vou indo - soltei beijos 

Sai do quarto do Justin com a blusa na mão, sim eu estava apenas de sutiã, olhei para o lado e vi um casal entrando em um quarto ao lado do meu, entrei no meu tomei um banho e fui deitar um pouco para ver um filme. 

 - Desculpa – sussurrei para o garoto de branco que estava na minha frente.
- Você não devia ter feito isso, você me prometeu.
- Desculpa, mais eu não prometi nada para você... – suspirei e abaixei a cabeça, isso tudo é porque eu transei com o Justin, o que ele quer que eu faça se eu estava na carência e via aquele homem maravilho na minha frente todo dia?
- Nada de desculpa – ele sussurrou respondendo minha pergunta não formulada – eu só não quero perder minha garota pra outros caras – sorri fraco enquanto ele passava o polegar na minha bochecha –  Venha,quero lhe mostrar uma coisa, ele tomou a minha mão e me levou pelo infinito jardim de flores amarelas misturadas com roxo, chegamos a frente a uma porta branca. Me aproximei da porta e entrei, só que era um buraco, eu estava caindo, estava tudo preto e eu não via mais ele, só escutei "Me desculpa, mais esse é o seu castigo por não ter cumprido a sua promessa". 

Abri meus olhos e me sentei na cama ofegante, passei a mão pelo meu rosto notando que eu estava suada, me levantei e andei até o banheiro ainda meio atordoada, que buraco era aquele? Lavei meu rosto e sai do banheiro, olhei para o relógio ao lado da cama, 04h50min da manha suspirei, eu não estou com nem um pouco de sono, mesmo que eu queira voltar a dormir eu não estou com sono. Escutei gritos de uma menina, aquilo estava me incomodando, então sai do meu quarto e vi aquele casal discutindo, não conseguia ver o rosto do homem mais conseguia ver perfeitamente o rosto da menina, ela era bem bonita, eles estavam falando em português, eu entendia só pelo fato do meu pai ser brasileiro, então ele me ensinou essa língua.

- Dá para parar de discutirem, eu to com sono e com essa gritaria não dá para dormir, vão brigar no quarto por favor - Disse alto e a menina me olhou
- Desculpa, mais eu preciso me resolver com esse garoto cabeça dura - respondeu ela logo em seguida
- Então se resolva em outro lugar, porque preciso dormir - Disse e bati na porta de Justin, e ele abriu em seguida
- Anda Anne, para de briga - Ele me puxou para dentro do quarto
- Essa gritaria esta me incomodando, mais vamos dormir, não to conseguindo dormir no meu quarto.

Deitamos e alguns minutos depois eu adormeci, acordei com Justin me beijando, achei estranho mais retribui o beijo e fui tomar banho no meu quarto. Troquei de roupa e desci para comer

g

  Cheguei lá em baixo e vi Justin, Drake, Chaz, Christian e Ryan, esses são os amigos de Justin de infância (tirando Drake) , que com o passar do tempo se tornaram meus amigos também, todos tem 18 a 19 anos, só Drake que tem 20, ele trabalha na Hugo Boss também. Cumprimentei todos e me sentei, coloquei minha jaqueta na cadeira e pedi meu chá com panquecas. 

- Bom dia meninos, porque vocês não me avisaram que tinham chegado? 
- Eles queriam  fazer surpresa, eles dormiram lá no meu quarto - Disse Drake sorrindo - Você esta linda Anne
- Obrigada - Sorri - Vocês vão ficar onde? - Olhei para Chaz, Chris e Ryan
- Provavelmente no quarto do Justin ou no seu - Disse Chaz 
- Não, fazemos o seguinte, eu e Anne dormimos no mesmo quarto e todos vocês dormem no outro - Justin falou
- Eu prefiro que eu durma com a Anne - Chris falou em seguida
- Se for assim, todos nós vamos querer dormir no mesmo quarto da Anne, nós meninos dormimos em um quarto e a Anne no outro - Ryan disse
- Não é do meu costume mais vou ter que concordar com o Ryan - Disse rindo - Para de sorrir pra Julia - murmurei pra Chaz que estava encarando a menina mais nojenta da equipe que ele é completamente apaixonado, Julia tem longos cabelos pretos, não enormes, mas até o pescoço, seus olhos são verdes e ela é tem um corpo magro, bem mais magro que o meu, ela também é modelo da Hugo.
- Cara ela é linda
- Eu sei,mas ela vai começar a ficar com medo de ti – ele se recompôs e limpou a garganta.
- Por que ela nunca olha pra mim?
- Porque ela sabe que se ela olhar ela vai se apaixonar – ele riu e me bateu de leve.
- Babaca -  o meu pedido chegou, e eu comi. Deu a hora de todos ir para a reunião, cada um foi até seu carro, os meninos foram para o quarto já que eles não poderiam ir conosco. Fui até o carro em que eu e Justin iriamos, me sentei, peguei meus fones e os botei, encostei minha cabeça no ombro dele deixando When I Was Your Man – Bruno Mars me levar, fechei meus olhos sentindo tristeza pelo cara da bela voz que cantava no meu ouvido.

E lá estava eu no jardim cheio de flores cinza, por que elas estão cinza?Procurei pelo garoto de branco perto da árvore, mas ele não estava lá, fui até a porta branca e vi ele lá sentado com uma foto na mão, bom estava eu, aquela menina de mais cedo e ele entre nós, a parte da foto onde estava, está cinza a parte daquela garota estava colorida

- Quem tirou essa foto? - perguntei baixo fazendo ele me olhar por alguns segundo e depois voltar a olhar para a foto.
- Eu não lembro – ele sussurrou com a voz rouca.
- Não lembra? – perguntei me sentando ao lado dele na cama – então faz muito tempo?
- Deve ser
- Porque essa foto essa dessa forma? - perguntei curiosa
- Eu...


- Anne, chegamos - disse Justin me achocalhando - Você anda dormindo muito - Ele me puxou pela a mão e pegou minha bolsa e a jaqueta
- Desculpa, mais eu não consegui dormir muito - Entramos no elevador e se dirigimos até a sala - Jus antes vou dar uma passada no banheiro para arrumar o make
- Vai lá, te espero na sala de reuniões, é só virar a esquerda é na ultima porta

Fui até o banheiro arrumei o que tinha que arrumar e fui até a sala, entrei e o presidente da Hugo não havia chegado, avistei Justin e fui até ele, só que ao lado dele já tinha um ser sentado 

- Oi, será que você poderia pular uma cadeira?É só pra eu ficar ao lado do meu empresario – falei tentando ser simpática, mas o garoto continuou com a cabeça baixa riscando em um papel.
- Ei cara, ela tá falando com você – disse Justin e eu o encarei com uma cara de “não ajuda, mas não atrapalha” e ele encolheu os olhos.
- Eu sento sempre perto dele, será que você não pode ir para outro lugar?
- Mudar é sempre bom -  murmurou o garoto e eu conhecia essa voz de algum lugar.
- Eu não gosto de mudanças 
- Qual é cara, troca de lugar rapidinho – falou Justin um tanto impaciente

O menino parou de riscar largou a  na mesa, se levantou e me olhou lentamente então seus olhos me pegaram de surpresa. Imediatamente eu fiquei pálida ele me olhava confuso e com os olhos arregalados. Meu Deus, o que ele esta fazendo aqui?  

Continua 
 5 Comentários 

Little Things / Parte 9 - Brincadeira é coisa séria

“Aonde está você agora?

Além de aqui dentro de mim…”



- Foi você? - Perguntei com um sorriso de canto. Neymar me deu um beijo na bochecha.
- Uhum!
- Como você descobriu meu e-mail?
- Pulando essa... você tá melhor? Quer contar o que aconteceu naquela noite?
- Ney... -andei e ele foi me acompanhando- estou bem, to andando olha.
 Com uma muleta.
- Está parecendo patati patata andando com isso -rimos.
- Vem, tenho que comprar um celular pra mim.
Agora eu sei porque as garotas de Cabo Frio ficam no pé do Neymar. Ele tem um charme que dando pra 10 rapazes ainda sobra e muito. Mas enfim... Neymar me ajudou a escolher o celular. Ele queria que eu comprasse um IPhone5 mas preferi um GalaxySIII. Depois, lanchamos no Balada Mix e acabei contando tudo sobre aquela noite. Não que eu não queria. Não me importo e não guardo rancores sobre relacionamentos e na verdade, Neymar me fez um bem abeça.
- Piranha!
Escutei bem? 
- Vagabunda!
Neymar se assustou virando-se rapidamente e olhando para trás.
- Ah você, isso não é surpresa -disse Neymar dirigindo-se para uma garota. Aquela garota. A garota que tentou me enforcar no banheiro.
- O que você quer?- disse dando três passos a frente
-Eu? Eu não quero é nada. Na verdade, quero sim. -seu olhar transbordava raiva
Ao nosso redor se formou uma roda. E eramos o centro da atenção. Ficamos em silêncio. O shopping ficou em silêncio. Olhava para o rosto de cada pessoa em volta. Neymar ao meu lado com uma expressão séria. Era o Neymar que essa garota queria? Então, ela vai ter. Não faço questão. Bom, não sei.
- É ele que você quer, né? Tudo bem. Pode ficar. Não temos nada. Não me envolve com algo que eu não tenho a ver. -disse tão rápido que parecia um cuspe.
- Como assim? -Neymar, coitado, não sabia de nada que aconteceu, nada.
- Olha o seu nível garota, se rebaixar por um homem que nem está ligando para você...
- Cala a sua boca, vagabunda.
 Não precisei. Sai dali o mais rápido possível. O mais rápido que minha perna deixava. Escutei Neymar gritando com ela, não sei o que, porque ofusquei tudo.
 Quer saber de uma coisa? Vou voltar a treinar. Treinar, treinar e mais treinar. Respirei ginástica até o meus 14 anos e parei por desistência. 
 Pensei ao ver as fotos de anos atrás. Eu era tão feliz, tão viva, tão linda e não sabia. Tudo para mim era ginástica e mais ginástica. Na verdade, era voar. E lembrei que o ginásio que eu treinava ainda existia aqui perto.
- Posso entrar? - disse minha mãe já entrando no meu quarto.
- Já entrou né.
- Nossa, Violetta. -interrompi ela.
- Nossa o que, mãe?
- Eita! Tem visita pra você.
Af! Peguei minha muleta e desci as escadas. A visita estava no lado de fora, ela não quis entrar, avisou minha mãe. Era o Neymar. Quando o vi senti uma vontade enorme de abraça-lo e assim fiz.

- Não vou deixar que nada aconteça com você, tá? -ele falou ao meu ouvido
- Uhum -disse passando a mão no seu cabelo e ele me abraçou mais forte.
Eu perguntei se ele queria entrar, mas Neymar disse que não e me levou para o jardim do nosso condomínio.
- Tô morando a 2 casas depois de você.
- Nossa, que coecidência, hein?!
- É -sorriu- Naquela noite na boate, foi tudo planejado.
- Como assim? 
Estávamos sentados nos bancos que dá para piscina. A luz não era tão forte e deixa um clima romântico com o barulho do chafariz.
- Botaram algo na sua bebida que fez você ir para aquela sala, tanto que você dormiu. A festa já estava terminando e eu fui ao banheiro, só que não me viram entrando, e não havia mais ninguém ali, alem de você '' desmaiada ''
- Então, era para eu ficar presa ali?
-Sim, sozinha.
Já era mais ou menos umas nove horas quando Nathália, Adryan, Thomás e Anna chegam no condomínio. Nathália mora a dois quarteirões de onde moro, Adryan mora na casa ao lado da minha, Anna mora em Jacarepaguá mas sempre está aqui por causa do Thom que mora com o Adryan.
- Tenho que dormir, tenho aula amanhã -falei levantando
- Cuidado se não vai ser reprovada por falta -disse Anna
- Por isso mesmo que tenho que ir, já faltei muito.
- Vem, vou contigo -disse Neymar também se levantando
- Aaah! -resmungou Thom- bora jogar só uma partida de Kiss the Queen, topa?
- Kiss the Queen? -perguntei Neymar
- É, beija a rainha -respondeu Adryan
Kiss the queen era um aplicativo para celular que eramos obrigados a fazer tudo o que ele pedia.
- Uma partida -disse sentando ao chão
Sentamos em uma roda. Ao meu lado estava Nath e no outro a Anna.
- Quem vai ser o primeiro? -perguntou Thom todo empolgado
-E..e...- ia tomar iniciativa, só ia
- Vai, Villu -incentivou Nath
- Não, vai você.
-Tá.
Nathália pegou o celular e clicou.
Você terá que beijar o queixo do seu parceiro a sua esquerda.
Era eu. Nathália iria me dar um beijo no queixo. E foi o que fizemos.
- Agora é minha vez -eu disse pegando o celular da mão do Thom.
Você terá que beijar de língua o seu parceiro a sua frente. Um beijo apaixonado.
Há minha frente? Neymar está sentado na minha frente.
- Agora eu quero ver -Nathália disse toda empolgada e rindo da situação.
Coloquei o celular no chão e me levantei. Neymar fez o mesmo. Ficamos parados um em frente ao outro. Sei lá, não sabia aonde começar. Logo nossa respiração formou uma, na verdade, não, estávamos ofegantes. Neymar colocou uma mão em minha nuca e a outra na minha cintura. E assim nossos lábios se tocaram...


- Ai, você me babou toda -falei descontraindo o clima
- Desculpas...

Acordei com barulho de buzina. Isso mesmo, buzina de carro. Mas não aquela que só aperta um vez e pronto, não. Aquela que você pressona, por um longo tempo. Levantei e fui olhar quem estava fazendo essa barbaridade nessa hora da madrugada. Abri a cortina e vejo o carro da minha mãe, parado em frente a nossa casa e era ela quem me despertou.
- Você tá louca? -gritei
- Desce, anda, você tá atrasada.
Atrasada? Olhei o relógio e já era 5:56 da manhã. Que isso! 
Meu horário na faculdade foi reduzido, só de Medicina, são 2 tempo de 50 minutos, pego as 7h, de segunda a sexta. Porém, preferi acabar logo o curso de espanhol e como já estou na faculdade, assim que termina as aulas de medicina vou pra espanhol.
Estou muito atrasada, na verdade, nem tanto mas demoro muito, muito para pegar o ritmo de manhã.
Me banho com água gelada e me visto.

Sem título #21

- Fala, novinha! 
Escuto entrando na minha classe. Dentro da sala, ele não estava. Mattheus não estava. Pensei que era ele, mesmo sabendo que ele nunca me chamara assim. 
- Fala, Rod! 
Era o Rodrigo carregando algo, aparentemente uma mochila. 
- Nossa -falei
- O que foi? To galã? Gostoso? -rimos
- Idiota! Porque você está com uma mochila? Virou estudando?
- Não né, Violetta. Vou arrumar um emprego.
- Oi? Emprego?
- Sim, tenho que ajudar a sustentar aquela casa.
Aquela casa. Imaginei que seria a casa do Neymar e seus pais. 
- Ah, boa sorte.
Dei um beijo em sua bochecha e entrei pra classe.

CONTINUA...

+ de 5 comentários pro próximo capítulo


Gangster Love - Parte 1

Toda estrada que é uma subida escorregadia
Mas sempre há uma mão na qual você pode se segurar 


Eu estava em um jardim, na minha frente se encontravam seis portas com símbolos brilhantes que eu não conseguia entender, continuei as encarando quando de repente um vulto  passou pela minha frente, pisquei duas vezes e olhei para o belo menino na minha frente que mais se parecia um anjo, sua roupa era branca seus balançavam com o vento, um sorriso lindo se encontrava em seu rosto brilhante, ele estendeu a mão.

- Quem é você? – perguntei calma para o menino sorridente na minha frente.
- Só segure minha mão - ele sorriu estendendo a mão, a segurei ainda um pouco receosa e ele me puxou até um das seis portas que tinha na minha frente, saímos em um jardim cheio de flores, onde eu estou? - em um lugar só nosso – ele sorriu respondendo minha pergunta.
- Eu morri? - perguntei e ele me levou para perto de uma arvore cheia de maças bem vermelhas.
- Não – ele sorriu – está sonhando.
- Sonhando?
- Sim, sonhando – ele sorriu e eu o olhei confusa.
- Como se chama?
- Você não precisa saber meu nome - ele sorriu e se aproximou de mim passando as mãos pelo meu rosto me fazendo fechar os olhos - Você é linda Anne
- Você é real? 
- Sim, eu algum lugar eu sou sim – ele sorriu – esse será nosso lugar – ele sorriu e antes que eu pudesse botar minhas mãos em seu rosto eu fui sumindo,o que tá acontecendo?

~*~

Me sentei na cama me despertando do meu sonho ofegante,mas o que foi isso?Olhei para o despertador em cima do criado mudo ao lado da minha cama 05h25min passei a mão pelos meus cabelos agoniada, quem era ele?Me levantei e andei até o banheiro do meu quarto,me despi e entrei no banheiro,aquele garoto era lindo,seu sorriso angelical,s eu toque tudo parecia tão real.Terminei meu banho me enrolei na toalha e sai do banheiro. Bom, há aproximadamente três anos, eu me mudei para Los Angeles com minha mãe e com o meu irmão e desde que eu me entendo como gente, sempre tive um sonho, ser modelo, mais não qualquer modelo, meu verdadeiro sonho era ser modelo da VS, por conta de ter um corpo maravilhoso e ter milhões de homens a disposição, ainda mais que minha mãe já foi uma Angel. Por mais que eu preferia ter entrado para a Grande filiação de Modelos da Victoria Secrets em Los Angeles, eu não consegui, mais do mesmo jeito eu era modelo da Hugo Boss, e ganhava bem por isso. O grande problema é que eu tenho que fazer uma campanha lá em Barcelona, teria que ficar cerca de dois meses por lá, eu tive que aceitar pois se não eu perderia meu contrato com a Hugo. Enfim, me arrumei para a viagem 

Desci apressada e estavam meu irmão e a mamãe tomando seu café.

- Bom dia - Disse sorrindo e me sentando
- Bom dia – disseram juntos me fazendo sorrir.
- Com muita vontade  de viajar filha?
- Estou com muita vontade de deitar e dormir mamãe, mais eu sou obrigada a ir né
- Você não é obrigada a ir, você vai porque você quer ser mais famosa e ter dinheiro - Disse Logan sorrindo com ironia 
- Eu quero apenas uma vida boa maninho 
- Filha anda, você já não pode perder o voo 
- Já estou indo mamãe, amo vocês, até daqui dois meses família - mandei um beijo para os dois e sai de casa comendo um sanduíche.    

O táxi já estava na minha espera, entrei e meu celular já começou a tocar, era o Justin, o meu empresário maravilhoso, ele é quase um loiro e bastante novo tem uns 20 anos, ele é filho do meu antigo empresario que preferiu deixar ele em seu lugar, preferi não atender e mandei uma mensagem: "Já estou a caminho Justin, avise a todos que estou ai em 20 minutos." Logo em seguida ele me respondeu com um ok

[***] 

- Até que fim Anne, poderíamos perder o avião, vamos logo temos que estar na Espanha em três horas - Disse Justin pegando minhas bolsas 
- Desculpa Jus - Disse em um sorriso malicioso após dar um beijo na orelha dele
- Anne, Anne eu não posso misturar trabalho com outras coisas pode parar, você sabe que a carne é fraca 
- Por isso que eu faço né Jus
- Vamos lá

Fomos fazer o check-in e já fomos direto para o avião. Sentamos em nossas poltronas e eu logo adormeci. 

 Oi – abri meus olhos devagar vendo o tal garoto de branco na minha frente.
- Oi – sussurrei e ele sorriu –  não quero que você fique se jogando para o Justin– ele disse brincando com os meus dedos.
- Por que? – perguntei levantando uma sobrancelha ele me olhou rápido e voltou a brincar com os meus dedos.
- Você é só minha não quero te dividir – ele levou minha mão até perto da sua boca e beijou meus dedos- você é só minha – sorri fraco pra ele – promete que não vai se jogar pra ele ?– continuei calada – por favor, me prometa.
- Eu não sou de ninguém, ele é bem gostoso
- Você não deveria falar dessa forma, me promete Anne?
- Não dá
- Anne, prometa por mim
- Eu...


- Anne - Olhei em volta e vi Justin me olhando - Dorminhoca, vem levanta, já chegamos
- Sim papai maravilhoso - Sorrimos e ele me deu a mão e saímos do avião. 



Continua... 

Gangster Love - Sinopse

Gangster Love - Sinopse

- Só segure minha mão – ele sorriu estendendo a mão, a segurei ainda um pouco receosa e ele me puxou até um das seis portas que tinha na minha frente, saímos em um jardim cheio de flores, onde eu estou?
- Você confia em mim? – ele perguntou olhando nós meus olhos.
- Sim...
Ele me olhou com os olhos arregalados e imediatamente ele ficou pálido, oh Deus o que ela tá fazendo aqui?
- Esse é um amor proibido, você vai ser pai pela segunda vez, eu não sei se iria aguentar essa pressão.
- Você é a mulher da minha vida, eu largo tudo por você

Ela sonha com o garoto perfeito, mas será que na vida real ele é mesmo perfeito? Seus sonhos com certeza serão melhores que a vida real, mas será que viver no mundo dos sonhos é a melhor opção? Ela está com medo de se entregar nesse amor, enquanto ele já está entregue a isso.

     ~~*~~

- Ele me enganou, eu cai na dele, e bom... Ele fez a jogada, logo após eu joguei errado. Mas no final, nós ganhamos, mesmo não havendo vitória dupla no jogo do amor... Bom, eu achava que não havia.
- Eu  me apaixonei pelo cara errado, ele tem namorada e não sabe a quem escolher,  mais seu jeito de ser e viver, fizeram mudar de ideia, eu continuei sendo a amante. Ele mudou a minha vida, mudou o meu destino, mesmo achando que após cair na dele, eu iria do pior ao inferno. Eu acabei nos braços dele, sem saída, sem escapatória, porem... Quem disse que eu queria escapar?

 ~~*~~
Em uma de suas passagens pela Espanha, Anne Mackenzie, uma garota como qualquer outra, que sonha em ser modelo, conhece Neymar Junior, que estava atrás de uma esposa por uma semana, já que sua namorada Bruna estava muito ocupada com as gravações da novela. Anne e Neymar, o novo jogador do time Barcelona, se apaixonam. A missão de esposa de mentira termina e cada um precisa seguir sua vida, mais Anne conseguiu ser aceita em uma agencia de modelo e ficou morando por lá e continuou sendo amante do jogador Neymar, só que para a surpresa deles, Bruna apareceu com uma noticia bem forte e agora? 

~~*~~

Personagens: Anne, Neymar e Bruna
Gênero: Romance, mentiras. 
* Essa imagine deverá ter uns 20 a 30 capítulos
* Meu nome é Isabela, tenho quase 15 anos e sou amiga da Juliana, vou escrever essa história, espero que todas vocês gostem, preciso de 5 comentários, seria possível ? A Bruna não vai ser a vilã ta, o vilão nessa historia vai ser o amor proibido deles, o começo esta ruim porque o inicio sempre é ruim. Essa imagine vai ser baseada em outras tá bom? é isso

Little Things - Parte 8

AVISO: No final dessa postagem terá aviso e, ao vir da postagem, uma homenagem. 


Anteriormente:  
Vi que seus ferimentos do acidente já tinham seca trisado. Ele vestia uma calça apertada, digamos bem, vermelha e uma camisa em gola branca.
N.Júnior: Trancada, mesmo. E ainda quando fui tentar abrir, a maçaneta quebrou.
Villu: Ótimo. Estamos presos. -ironizei
N.Júnior: Meu celular está dando fora de área, vê ai o seu.
 Abri minha bolsa, peguei o celular. Maldito celular, estava descarregado.
Villu: Acabou a bateria -guardei o mesmo- Tem como sair por cima.
N.Júnior: Não. Não tem janela ou algo do tipo pra apoiar os pés, as cadeiras sumiram. Agora só resta o poff.
 Acompanhei o olhar do Júnior que estava em direção ao poff onde estava sentada anteriormente.


~Neymar Júnior no comando
Villu: Deixa eu tentar.
 Villu retirou os sapatos, colocou os mesmos no chão, encostou o puff o máximo possível na parede e subiu no mesmo. Dava para perceber que com um impulso seria capaz de alcançar a parte superior e plana do muro. Talvez. E foi o que ela fez, deu um impulso e pulou para agarrar a parte de cima. Sua mão escorregou e ela voltou com força sobre o puff, que não aguentou o impacto e quebrou-se em zilhões de pedaços, machucando Violetta. Andei rapidamente até ela que estava com uma das pernas sangrando e expressão de dor. Agachei ficando perto da mesma.
 Observei que não era nada grave e sim uns cortes.
N.Júnior: Você é uma burra, sabia? -ri, peguei um lenço que estava dentro da minha carteira.
Villu: Isso eu sei... AI AI AI! -gritou de dor- Mas não precisa lembrar-me todo tempo.
N.Júnior: Não foi minha intenção.
 Peguei o lenço, passei em volta da sua perna '' rasgada'' pela madeira, que estava sangrando e amarrei. 
N.Júnior: Pronto. -disse em relação ao curativo que havia feito em sua perna.
Villu: Obrigada. -dei um leve sorriso de canto.- Porque você tem um lenço na sua carteira?
N.Júnior: Vai que acontece o que acabou de acontecer?! Nunca sabemos.
Villu: Ah é! Para você socorrer todas as garotas que vão atrás de você.
N.Júnior: Que?

~Violetta Becker no comando
 Ops! Escapoliu! Na conversa que tive com o Rodrigo na Urca, ele me contou bastante coisa sobre o Júnior, como: ele dorme só de cueca e acorda sem ela; que deu seu primeiro beijo aos 9 anos; e que tem todas as garotas de Cabo Frio ao seus pés.
 Tipo, uma biografia.
Villu: É...é -gaguejei.
N.Júnior:  Rodrigo me explanando! Tá certo!
 Balancei a cabeça com um sim gero sinal de sim. Júnior me ajudou a levantar e fomos para uma parte coberta de menos de um metro.
 Não tinha-mos como sair dali, o que restava era dormir e esperar amanhecer. Para mim, era meio que impossível. Para piorar a situação, começou a chover. E muito. Praga. Tudo o que eu menos queria. Trancados sozinhos em uma boate mega estranha onde não havia teto - com uma mega gato ao meu lado, Neymar Júnior- levarei ponto na canela por causa do querido poff, e agora a bendita mãe natureza mandou água do céu. [...]
N.Júnior: Tá com frio? -ele perguntou depois de reparar, com toda certeza, que eu estava tremendo.
Villu: Não. Estou tremendo porque estou com medo do bicho papão me pegar.
 Ele deu uma risada cativante.
N.Júnior: Já entendi porque você e o Rodrigo se deram bem -disse em meio a risadas- Posso?
 Percebi o que ele queria com isso.
Villu: É.. não tem outra maneira.
N.Júnior: Tenho um dom para aquecer.
 Dei uma risada suave.
Villu: Virou Jacob?
 Os poucos centímetros que existia de distância entre nós, passou a não existir mais.
 É, ele estava falando a verdade. Me aqueceu em poucos minutos.

Acordamos com uma barulho de algo forte batendo em uma madeira. Madeira sendo destruída. Neymar se levantou rapidamente, continuei deitado devido ao ferimento na perna. A porta foi arrombada aparecendo logo depois um policial, e atrás o Mattheus que foi em direção ao Júnior, pegando-o pela gola de sua camisa e o pressionando-o na parede.
Mattheus: Você vai pagar pelo o que fez, seu @#*@#!
Policial: Epa, epa! -disse afastando os dois.
Villu: Mattheus?!... -ele me interrompeu-
Mattheus: Ele playboyzinho te machucou? Te estrupiu? - veio até a mim, que sentei.
Villu: Não, Mattheus.- falei firme. Ele continuou falando- Não. -continuou- Não, Mattheus. PARA -gritei.
Policial: Precisamos levar vocês para a delegacia.
Villu: Pra que?
Policial: Precisamos do depoimento de vocês para saber o que aconteceu.
Villu: Não vou.
Mattheus: Ah, você vai sim.
Villu: Calado, Mattheus.
[...]
Villu: Precisamos conversar. -falei firme.
 Depois de 3 horas na delegacia, passei no hospital e levei 17 pontos na lateral da canela. Chegamos em casa. Eu e Mattheus.
Mattheus: Você tem que me ouvir primeiro. -assenti- O que está acontecendo com você? Tá andando com pessoas erradas? Usando drogas?
Villu: O que? -falei indignada- Você sabe o tamanho da merda que está dizendo?
Mattheus: Você está me traindo, Violetta?
 Não acreditei no que acabei de ouvir.
Matheus: Com aquele marginal?
 Não. Não podia aguentar aquilo sem dar uma palavra.
Villu: Quem quase morreu por você fui eu, que te vi agarrada com uma vadia -tentava ser forte, sem deixar uma lágrima rolar, e estava conseguindo- e depois te perdoei, foi eu. Quem te ligou vááááárias vezes enquanto você estava viajando? Foi eu. E você me atendeu? NÃO.
 Para esquentar mais ainda a situação, meu celular toca. O aparelho estava ao lado do Mattheus, o mesmo pega-o. Viu a tela e sem dor e piedade taca o >meu< celular pela janela.
DON'T BELIEVE.
Villu: Sai da minha casa, seu animal. SAI -gritei-
 Não sei da onde tirei força para andar e empurra-lo por causa da minha perna que gritava de dor. Porém, minha raiva gritava muito mais alto.


 Estava em um paraíso. Não sei aonde. Era uma mistura de urbanização com natureza. Londres e Miami? Barcelona e Sidney? Não sei. Só sei que tudo era como eu sempre queria. Morar num lugar como esteve. E eu morava. A minutos atrás quando acordava e vi o amor da minha vida surfando da janela do nosso quarto, era tudo tão real. Ele tinha olhos verdes cor de mel, um sorriso torto, um brilho no olhar e uns traços angelicais. Agora estou sentada nas areias finas de Miami ou Sidney vendo o amor da minha vida vindo até o meu encontro.

 Tudo não passava de um sonho.

Deus é a sua força! Ele te sustenta quando tudo conspira contra ti. Levante-se dessa cama e sorria, diga pro mundo que quer te ver triste que Deus ama o teu sorriso. Bom dia <3

 Acordei com essa mensagem na caixa de e-mail do meu notebook. Não sabia o contato. O e-mail era privado. 
 Estava a 3 dia sem ir ao colégio. Sem ao mesmo levantar da capa. Não que eu não tinha forças para encarar o Mattheus. E sim, pelo machucado na minha canela. Em termos de relacionamento, sou forte. Espero que o Mattheus não venha mais falar comigo. Animal. 
 Andava de muleta. Azul. Já disse que amo azul? Então, não vivo sem. Na verdade, Adryan que pintou para mim. Ele achou essas muletas e o mesmo pintou. Fofo! 
 Não aguentava mais ficar de muletas, não aguento. 
 A mensagem me fez forte. Levantei daquela cama logo pegando as muletas e indo tomar um banho refrescante. Coloquei essa roupa e fiz um make leve, pelo menos para ver se esconde a cara inchada. Pedi um táxi e ele me levou ao shopping. Preciso de um celular pra ontem.
 Pedi uma casquinha de baunilha e senti em um dos bancos que tinha por perto da praça de alimentação. 12:40, marcava no relógio. As meninas já saíram. Liguei para a Nathália, ela estava almoçando com a família dela. Ela disse que contaria que estava na espera de um filho. 
'' Tudo está acontecendo do nada, tudo de uma vez, atrás do outro. Esses problemas vão me atropelar. ''
As pessoas que passaram a minha volta devem ter achado que sou uma maluca. É, pensei alto, mais tão alto, que saiu pela boca.
xXx: Não, esses problemas não vai te atropelar - pude sentir uma respiração, um meio tanto familiar, no meu pescoço- Deus é a sua força.
 Ai, eu soube quem mandou aquele e-mail. E meu coração sorriu.

CONTINUA...

O sorriso é a melhor resposta para um olhar.

“Amor é quando se tem todos os motivos pra desistir, mas você engole o choro, seca as lágrimas, força um sorriso e dá mais uma chance dizendo “essa é a ultima vez”. Mesmo sabendo que ainda terá muitas ultimas vezes.”

“A vontade de Deus vai muito mais além do seu entendimento, e é muito melhor do que você imagina.”

VOE NEYMAR

image
15 de maio de 2009, Pacaembu. Molina toca para Germano, que percebe o avanço de Roni pela esquerda. O atacante recebe a bola e cruza à meia-altura para o meio da área. Bola na rede. “Pode ser um gol histórico”, disse o narrador Milton Leite.

AVISO: Desculpa por demorar muuuuuuuuuuuito para postar esse imagine,mas estou de volta com ele. AVISO²: E quem tiver imagine/história e quiser fazer parte >desse< blog, vem falar comigo por comentários ou pelo twitter @mefeatmattheus. AVISO³: Estou respondendo o comentário de vocês na parte de comentários,ok? Então, quem comenta, se liga lá. bjão!